“As mãos dos pretos”: diferentes (re)apropriações do conto de Honwana

mãospretos_proposta_YT

Qual a sua predileta?

mãospretos_handsblacks_YT

 mãospretos_pioneiro YT

Anúncios

Inscrições para o II Seminário Rasuras – UFBA

seminário rasuras inscrição

A II edição do Seminário Rasuras emerge da necessidade de dar continuidade aos debates fomentados desde 2010, início das atividades do grupo de pesquisas no Instituto de Letras, problematizando questões sobre literatura, linguística e cultura. As atividades do grupo interagem rizomaticamente nas diversas esferas de reflexões acadêmicas que circundam as linhas teóricas do PPGLitCultt (Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura – Instituto de Letras/ UFBA).

​O grupo tem como pauta, desde sua fundação, discussões sociais, antropológicas e raciais de importância para a formação do sujeito intelectual, sobretudo, dos estudantes negros que integram a universidade e/ou aqueles que estão por iniciar seu percurso acadêmico.

LET C55: referências conceituais e críticas

Bogolan2 (bambara Mali)


PROGRAMA 2017-2

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph. História geral da África, I: Metodologia e pré-história da África. 2.ed. rev. Brasília: UNESCO, 2010.

LEITE, Fábio. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. In: África: Revista do Centro de Estudos Africanos. n.18-19. São Paulo: USP, 1995/1996.

CUNHA, Henrique. Ntu. In: Revista Espaço Acadêmico. n.108, maio 2010.

KANDJIMBO, Luís. Escrita e vertigem dos livros / Pedro Miguel, um filósofo angolano em Itália / Identidade e filosofia política. In: Ideogramas de Nganji. Exercícios angolanos de ler e parafrasear. Lisboa: Novo Imbondeiro, 2003.

KANDJIMBO. O provérbio: um gênero da literatura oral angolana. In: KANDJIMBO, 2003.

RUI, Manuel. Eu e o outro — o invasor ou em poucas três linhas uma maneira de pensar o texto. Comunicação apresentada no Encontro Perfil da Literatura Negra. São Paulo, 23/05/1985.

SCHIPPER, Mineke. Literatura oral e oralidade escrita. In: QUEIROZ, Sônia. A tradição oral. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2006.

BOTOYEYÉ, Geoffroy. O que pode a escrita? / ZOUNMÈNOU, Marcellin Vidjennagni. Conhecimento indígena e tradições orais em Zulu (África do Sul) e Gun (Benim). In: HOUNTONDJI, Paulin (org.). O antigo e o moderno. A produção do saber na África contemporânea. Tradução de M. Ferreira, G. Sousa, P. Patacho e A. Medeiros. Mangualde (Portugal): Edições Pedago, 2012.

Linguagem & Culturas: bibliografia teórica

brincos adinkraH_Juanita

SODRÉ, Muniz. A verdade seduzida. Por um conceito de cultura no Brasil. 3.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

SODRÉ, Muniz. Espaço e cognição: O lugar / O lugar da aprendizagem / Experiência e criatividade. In: Reinventando a educação. Diversidade, descolonização e redes. Petrópolis: Vozes, 2012.

ASANTE, Molefi Kete. Ancestors / Ancestors and Harmonious Life. In: ASANTE, Molefi Kete, MAZAMA, Ama. (editors). Encyclopedia of african religion. California: Sage Publications, 2009.

LEITE, Fábio. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. In: África. Revista do Centro de Estudos Africanos. n.18-19. São Paulo: USP, 1995/1996.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph. História geral da África. v.I: Metodologia e pré-história da África. 2.ed. rev. Brasília: UNESCO, 2010.

GILROY, Paul. O Atlântico negro. Modernidade e dupla consciência. Trad. Cid Knipel Moreira; Patrícia Farias (Prefácio à edição brasileira). 1.ed. São Paulo: Editora 34; Rio de Janeiro: Universidade Cândido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza; Imprensa Nacional do Estado de São Paulo, 2006.

MATA, Inocência. Vieses de um recorte cultural. In: Ficção e história na literatura angolana: o caso de Pepetela. Portugal: Mayamba Editora, 2010.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Organização de Liv Sovik. Belo Horizonte; Brasília: UFMG; Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

SODRÉ, Muniz. Introdução / Cultura e educação. In: Reinventando a educação. Diversidade, descolonização e redes. Petrópolis: Vozes, 2012.

Descolonizando através da diferença literária africana

leopardo Kajama pediu à cegonha Kumbi_LUSONA

PROGRAMA 2017-2

CASTIANO, José. Sabedoria tradicional e educação actual. In: HOUNTONDJI, Paulin (org.). O antigo e o moderno. A produção do saber na África contemporânea. Tradução de M. Ferreira, G. Sousa, P. Patacho e A. Medeiros. Mangualde (Portugal): Edições Pedago, 2012.

CANDAU, Vera Maria Ferrão, OLIVEIRA, Luiz Fernandes de. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. In: Educação em Revista. v. 26. n. 1. Belo Horizonte: Faculdade de Educação da UFMG, abr. 2010. p.15-40.

MOUTINHO, Mário. As bases da ideologia colonial / A justificação da colonização pela negação do indígena / A Imagem do indígena. In: O indígena no pensamento colonial português (1895-1961). Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas, 2000.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. In: BRANDÃO, André Augusto (org.). Programa de educação sobre o negro na sociedade brasileira. Niterói: EdUFF, 2004. Palestra proferida no 3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação – PENESB, Rio de Janeiro, 05/11/03.

LEITE, Fábio. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. In: África: Revista do Centro de Estudos Africanos. n.18-19. São Paulo: USP, 1995/1996.

RUI, Manuel. Eu e o outro — o invasor ou em poucas três linhas uma maneira de pensar o texto. Comunicação apresentada no Encontro Perfil da Literatura Negra. São Paulo, 23/05/1985.

MATA, Inocência. “Even Crusoe needs a Friday”: os limites dos sentidos da dicotomia universal/local nas literaturas africanas / A literatura, universo da reinvenção da diferença. In: A literatura africana e a crítica pós-colonial: reconversões. Luanda: Editorial Nzila, 2007.

SODRÉ, Muniz. Cultura e educação. In: Reinventando a educação. Diversidade, descolonização e redes. Petrópolis: Vozes, 2012.