um depoimento elucidativo sobre as relações entre literatura & construção identitária em Angola

Na entrevista a seguir, feita durante sua participação num evento sobre literaturas africanas realizado no Ilufba em 2010, o escritor angolano Manuel Rui retoma elementos importantes da reflexão que tem desenvolvido sobre os efeitos do colonialismo na produção de identidades, assim como acerca das relações entre oralidade e literatura, temas que mereceram instigante abordagem no famoso artigo Eu e o outro – o invasor ou em poucas três linhas uma maneira de pensar o texto, referência básica para o nosso curso da LET C47.

 

Anúncios

algumas referências para a compreensão da condição dos “assimilados” na Angola colonial

tipos de loanda2_negro chapeu jornal
Personagens estratégicas na história e na ficção de Angola – tal como se observa no conto “Mestre” Tamoda, que estamos discutindo na LET C47 – os assimilados representam um fenômeno cultural cujo estudo certamente pode oferecer contribuições valiosas para também compreendermos a construção das identidades “morenas” no Brasil, assim como os resultados ambíguos gerados pelos processos de sincretização que ocorreram no Brasil e em vários dos territórios colonizados pelos portugueses. Importante também referir que a complexa representação do mestiço que estamos discutindo na LET C50, no âmbito dos estudos sobre a poesia da negritude em língua portguesa, articula-se diretamente aos efeitos culturais do assimilacionismo. A seguir indico três textos disponíveis na internet que apresentam informações e análises bastante úteis para o aprofundamento desse tema. O primeiro desses textos dirige o foco para os efeitos gerados no campo linguístico pelas políticas assimiladoras, tomando como objeto de discussão a narrativa de Uanhenga Xitu já referida.

AMÂNCIO, Íris. Performances da oralidade na escrita xitu do “Mestre” Uanhenga. In: Revista Scripta. Belo Horizonte: PUC Minas, 2002.

CARVALHO FILHO, Silvio de Almeida. As relações étnicas em Angola: as minorias branca e mestiça (1961-1992). In: Anais do VI Congresso da Associação Latino-Americana de Estudos Afro-Asiáticos do Brasil (ALADAAB). Brasília: 1998.

BITTENCOURT, Marcelo. A resposta dos “crioulos luandenses” ao intensificar do processo colonial em finais do séc. XIX. In: A África e a instalação do sistema colonial (c. 1885 – c. 1930). Actas da III Reunião Internacional de História da África (1999). Lisboa: IICT; Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga, 2000.